MANUAL DAS REPRESENTAÇÕES

Representante Regional  e a CIJ/OSCAL

 

Quando nos referimos à sigla CIJ, englobamos um grande número de trabalhadores espalhados por todo o país, cujos esforços muitas vezes são as grandes engrenagens para que o trabalho junto aos jovens, adolescentes e infância possa se desenvolver.

 

Ao nomearmos os cargos, que são o auxílio para que as tarefas ocorram em âmbito nacional, regional ou local, intencionamos estruturar nossa equipe sempre de forma horizontal para (no âmbito de decisões compartilhadas com respeito a opinião dos trabalhadores envolvidos), que os trabalhadores sintam-se em uma equipe coesa, capaz de superar as barreiras da distância física em nome de um trabalho tão abençoado. Sabemos da importância desta tarefa, pois é a partir de um trabalho cuidadoso de educação do espírito reencarnante que podemos contribuir para a formação de novos cidadãos e fraternistas conscientes.

 

Justamente por se tratar de um assunto tão importante e delicado que devemos igualmente nutrir e cuidar das nossas relações em equipe. Acreditamos que o grande fator agregador de um time de trabalhadores como o nosso é a amizade. Somos movidos pelo sentimento de companheirismo nas tarefas que abraçamos. O carinho que nutrimos uns pelos outros é o estimulo do qual necessitamos para que todo o trabalho grandioso ao nosso redor seja cumprido.

 

Sendo assim, amigos, gostaríamos de enfatizar que somos todos uma grande e única equipe, onde o único guia e modelo é Jesus. Que possamos relacionar cada vez melhor, nos telefonando, e-mails, cartas, e nos preocupando uns com os outros antes mesmo de julgarmos por qual motivo determinado trabalhador está ausente em suas tarefas. Que possamos aproveitar as oportunidades de trabalho para realmente vivenciarmos a fraternidade, que tanto desejamos que nossos adolescentes, jovens e crianças compreendam.

Como trabalhar em colegiado

 

A composição do colegiado de representação regional sugerida oficialmente pela CIJ é de:

 

06 (seis) fraternistas de cada região fraterna: 02 (dois) atuando junto à infância; 02 (dois) na adolescência e 02 (dois) na juventude.

 

Compreendemos, porém que nem sempre a realidade vivenciada por cada região permite a composição de trabalhadores idêntica ao proposto pela CIJ. Na prática, os representantes poderão adaptá-la de acordo com as necessidades da situação em que vivenciam. Por exemplo, se o trabalho na área da adolescência precisa de mais enfoque, então mais trabalhadores, com disposição e conhecimento nesta área, podem ser incorporados.

 

Cada membro do colegiado é designado para uma determina área de atuação, entretanto deve estar sempre a par do que ocorre com as demais frentes de trabalho, procurando auxiliar sempre que possível ou necessário.

 

O trabalho de colegiado implica em união e parceria, onde todos devem primar pelo clima de amizade e companheirismo, evitando competições e mal entendidos. A equipe deve se reunir periodicamente para tratar de assuntos preestabelecidos em uma pauta e atualizar, se possível, o plano de metas elaborado junto com o coordenador da área correspondente para o triênio.

 

Sugerimos que nesses encontros haja espaço para atividades que promovam a descontração e a amizade entre todos. Saber o que fazem seus companheiros quando não estão a trabalho do Movimento da Fraternidade é uma maneira de compreender quem são esses irmãos, de tornar todos mais próximos e fraternos uns com os outros.

 

Comemorar aniversários, sair para comer pizza, organizar festas de confraternização entre os trabalhadores da região são exemplos de iniciativas que beneficiam a convivência entre todos. Experiências de trabalho em forma de colegiado onde a amizade é um elemento presente nos mostram que as tarefas como um todo fluem com mais naturalidade, de maneira descontraída e, em muitos casos, divertida.

Atribuições gerais do Representante Regional

 

Não devemos confundir essas atribuições com aquelas designadas ao Coordenador Regional. Na realidade, o colegiado formado pelos Representantes Regionais deve fazer parte da estrutura da Coordenação Regional, compondo o quadro de trabalhadores e auxiliando a região a qualquer momento. A equipe na região fraterna, portanto, deve ser uma só.

01

Buscar a integração dos trabalhadores ligados à área da Infância à Juventude nas Regiões Fraternas;

02

Promover a integração de cada GFE ligado a sua Região Fraterna com as atividades e os trabalhadores atuantes nas federativas espíritas;

03

Atuar junto ao Coordenador Regional nos eventos, projetos e demais atividades do Movimento da Fraternidade em sua Região Fraterna;

04

Representar a Coordenação de Infância à Juventude nas respectivas Regiões Fraternas;

Atribuições do RR dentro da Comemofra

 

O trabalho do Representante Regional nasceu na Comemofra a partir da necessidade de levar o encontro e seus objetivos a cada Região Fraterna. A estrutura da CIJ possui três trabalhadores que tem como suas maiores incumbências organizar e zelar pelo bom andamento do ciclo anual da Comemofra, incluindo a realização do Encontro em si (que são os Coordenadores da Comemofra - CC). Além desses trabalhadores, temos aqueles ligados às Coordenações de Infância, Adolescência e Juventude que também atuam em conjunto na realização do ciclo da Comemofra. Importante frisar que todas essas coordenações deliberam todas as ações da CIJ de forma horizontal, não hierárquica.

 

Sugerimos no colegiado regional a estrutura de se ter ao menos um tarefeiro se possível o colegiado completo, que serão responsáveis pelos trabalhos da Comemofra em nível regional. Dessa maneira, os demais companheiros poderão trabalhar de forma mais intensa nas demais atribuições do RR- que por sinal, são muito importantes! Este trabalhador deve ser dinâmico e organizado e realizar as seguintes atribuições:

Dar todo o suporte relacionado ao ciclo da Comemofra às Coordenações da Infância à Juventude dos Grupos de Fraternidade Espírita;

01

02

Implementar, de forma consciente e ativa, os programas de trabalho relacionados ao ciclo da Comemofra propostos pela Coordenação de Infância à Juventude.

Divulgar amplamente as ações da Coorde, Infância à Juv. nas respectivas Regiões Fraternas, incluindo - se os meios de divulgação federativos;

03

04

Articular suas respectivas relações sociais, familiares, profissionais, com entidades das mais diversas envolvendo-as com o ciclo da Comemofra e a Cifrater.